?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
spectre
rosas
innersmile
A questão é que sou fã do James Bond desde miúdo, de facto desde a altura em que nunca tinha visto nenhum filme da série! Mas tinha a pistola, os carros em miniatura, a pastinha attaché… Os primeiros filmes que vi no cinema foram com o Roger Moore, e só vi os filmes com o Sean Connery em retrospectiva, na tv ou em video. Gostei do Timothy Dalton e do Pierce Brosnan, mas foi com o Daniel Craig que Bond voltou a ser uma mistura entre um cavalheiro e um action hero puro e duro.

Spectre é o quarto filme em que Craig faz de Bond, e o segundo realizado por Sam Mendes, que veio dar uma certa densidade à personagem, que agora é mais sombrio e carrancudo; não tenho a certeza se gosto muito deste Bond mais psicológico, e acho que ele corre o sério risco de ser ultrapassado (ou já foi mesmo), em entusiasmo, por outras séries de acção, como os filmes de Jason Bourne ou a Missão Impossível. Uma das imagens de marca de Bond, que se perderam um pouco nestes últimos filmes, era o sentido de humor, o facto de a própria personagem não se levar muito a sério, tinha consciência de que era um boneco, e isso dava leveza aos filmes e um sentido de diversão muito particular.

Por outro lado, Sam Mendes, quer em Skyfall quer neste Spectre, faz uma espécie de Bond total, dá coerência e sentido histórico à personagem, cria uma certa unidade entre os filmes passados e as aventuras actuais, e isso cria no espectador uma identificação acrescida com a série, um pouco como acontece com Star Wars, que é um universo de aventuras, e em que mais do que um mero somatório de filmes, se trata de um conjunto de episódios da mesma saga.

Para além da sisudez de Bond, estes filmes de Sam Mendes tentam tornar a série mais “realista”, entre aspas claro; investe menos num certo universo fantasista de Bond, de cenários e proezas impossíveis, tipo herói de BD. Mais uma vez, parece-me, com o objectivo de o tornar num action movie.

Para além do rabiosque do Craig, o melhor do filme, na minha opinião, é a Monica Bellucci, que mais do que uma ‘Bond Girl’ é uma verdadeira ‘Bond Milf’!, mas que vem trazer um tom trágico às habituais cenas de engate. A sequência de abertura, passada na cidade do México, é a melhor do filme.
Tags:

  • 1
dá sim, um ar diferente e mais sexy :)

  • 1