Previous Entry Share Next Entry
22 de agosto de 1927
rosas
innersmile


No dia 22 de agosto de 1927, a Lucinda e o José trocaram fotografias. Ela tinha 17 anos e escreveu na dedicatória: “Ofereço ao meu querido José como prova de verdadeira amizade“. Depois assinou o nome completo (apenas dois, o nome próprio e o apelido) e datou: Lourenço Marques, 22 de Agosto de 1927. Ele foi mais ousado e, com outro arrebatamento, escreveu: “À sua inolvidável Lucinda como testemunho do grande e sincero amor que lhe consagra o seu José.” E, pôs, a seguir, a data.

No início do ano seguinte casaram, em janeiro de 1929 tiveram a primeira filha, e dois anos depois, em 1931, igualmente em janeiro, a segunda, a minha mãe. A terceira filha nasceria dois anos depois, em março de 1933, e foi quem me deu a conhecer estas fotografias.

As fotos têm a forma de postal, com capa, e a caligrafia da minha avó, então uma adolescente, é precisamente a mesma que lhe conheci toda a vida, até às suas últimas cartas que recebi pouco antes de morrer, em abril de 1993. O meu avô nunca conheci, morreu um ano antes de eu nascer. Ao arrumar a casa dos meus pais, principalmente o meu antigo quarto, encontrei muitas cartas e postais da minha avó, que guardei e continuo a guardar.

  • 1
Estes documentos - fotográficos e escritos - são um património familiar muito valioso para a identificação do nosso eu.

Reconhecemo-nos nós nos nossos antepassados próximos? Penso que sim! E dá tanto gozo procurarmo-nos num pedaço de papel que nos oferece os genes em troca de nada. Um dia a tua baby vai fazer o mesmo.... E tu estarás com ela sempre! E a minha Arllete também. Beijinhos querido Miguel!

e o que é surpreendente, é que reconhecemos traços dos nossos antepassados nos nossos "descendentes". nestas fotografias, descobri que a minha sobrinha tem traços fisionómicos muito parecidos com a minha avó.

  • 1
?

Log in

No account? Create an account