Previous Entry Share Next Entry
disparates
rosas
innersmile
A sério, acho esta história do jantar da websummit no Panteão Nacional, a possidonice total. Primeiro, acho possidónio alguém querer jantar naquilo que é, tirando a pompa e as honras de Estado, um cemitério, um depósito de ossadas. Era como fazer uma tainada na Capela dos Ossos, em Évora, não lembra ao mais palerma, só mesmo aos nerds…

Mas acho igualmente possidónia a reacção dos indignados. Eu até compreendo que os partidos da oposição aproveitem todos os pretextos para fazer combate ou simples chicana política. Como dizia uma amiga minha, tudo serve para croquetes. Mas o que me irrita é mesmo a indignação nas redes sociais que depois transborda, com amplificada imbecilidade, para os órgãos de comunicação social. De repente aquilo que era uma simples questão de mau gosto passa a ser uma questão de honra nacional, de ofensa aos nossos maiores, e toda a gente rasga as vestes de indignação.

Não há pachorra. Esta treta deste país transforma-se cada vez num país de opereta, numa república dos bananas. Os portugueses, em vez de crescerem em cidadania e sentido cívico, parece que estão cada vez emocionalmente mais débeis, bipolares. Agarramo-nos às questões mais supérfluas e comezinhas e transformamo-las em grandes questões nacionais. Um dia é a capa da revista com a Lili, na véspera foram os seguranças da discoteca, no dia seguinte é o jantar no Panteão, à falta de novidade voltam as vítimas dos incêndios, e passamos a vida nisto, nesta espécie de espuma emocional, em que nunca nos pomos em causa ou nos afirmamos porque passamos o tempo em estado de histerismo.

Claro que se tudo se confinasse às redes sociais não resultaria grande mal, provavelmente também é para isso que elas servem, como escape aos nossos mais verdadeiros, profundos e irresolúveis problemas. Mas a nossa comunicação social é miserável, em grande parte dos casos funciona como mera caixa de amplificação do que se passa nas redes sociais. Miserável e preguiçosa, sentada nas salas de redação à cata da cacha sensacionalista.
Tags:

?

Log in

No account? Create an account