Previous Entry Share Next Entry
victoria & abdul
rosas
innersmile
Um dia destes hei-de pegar na filmografia do Stephen Frears e contabilizar todos os seus filmes que eu vi. Ele fez muitos, e eu suponho que terei visto muitos deles, desde os distantes tempos de My Beautiful Laundrette, uma das primeiras fitas gay que eu vi, e de Prick Up Your Ears, o filme que me apresentou a obra e a vida de um dos meus ídolos, o Joe Orton.

E quase todos eles, vi-os no cinema. O ano passado perdi o filme que fez sobre Florence Foster Jenkins, porque estava no hospital, e vi-o mais tarde, a tempo dos Oscars, no video clube da box. Acho que foi a única vez que aluguei um filme na box. A semana passada fui ver Victoria e Abdul, o filme que realizou sobre a história do relacionamento entre a rainha Victoria, já então muito velha e em acelerada decadência física, e um jovem criado indiano, muçulmano, trazido da Índia para apresentar uma oferta à rainha num banquete, e por quem esta ganhou afecto.

À primeira vista, parece um daqueles filmes de época muito bem feitinhos, à inglesa, cheios de detalhes sofisticados e subtis, e que muitas vezes se esgotam no culto desse formalismo, por vezes puramente maneirista. Ora, Frears insufla esta história sobre a rainha Victoria de uma ironia muito mordaz que, na mesma passada, conta uma história de um “amor” impossível e subversivo, mas traça igualmente um retrato de uma Inglaterra fortemente classista, onde o respeito pelo protocolo e pelas convenções sociais, disfarça, se não mesmo desculpa e justifica, o racismo mais assumido e violento.

Mas o melhor de tudo é que Stephen Frears constrói com isto um filme divertidíssimo, com uma direcção de actores que faz brilhar o talento dos protagonistas, particularmente a galáctica Judi Dench. Num papel secundário, a fazer de Mr Puccini, o compositor de óperas, o Simon Callow, um actor que eu admirava imenso, e que agora é tão raro ver no ecrã. Outra presença a destacar a de Tim Pigott-Smith, um daqueles especialistas em papéis secundários seguríssimo, e que eu sempre recordo porque foi o protagonista da série televisiva The Jewel in The Crown, naquele que foi o seu derradeiro papel em cinema.
Tags:

?

Log in

No account? Create an account