Previous Entry Share Next Entry
volto a passar o dedo na ferida
rosas
innersmile
A HORA DO LOBO

Volto a passar o dedo na ferida
(tanto tempo depois)
Mas os caminhos já não têm
O teu nome
Nem os juncos chamam por ti.

A realidade já não se ajusta à memória
E nem sequer a memória
Coincide inteiramente com a lembrança
Que guardo desses dias que foram os teus

(A realidade, neste momento,
É um suave rumor da água que corre
E os sinos que repicam ao longe)

E no entanto, é o teu sorriso brando
A terna ironia do teu olhar
Mesmo que seja outro céu, outro o verde,
Outra a bonomia de um compreensível absurdo.
Tags:

  • 1
  • 1
?

Log in

No account? Create an account