Previous Entry Share Next Entry
jonathan demme, rip
rosas
innersmile
Jonathan Demme, cuja morte foi hoje anunciada, não foi propriamente um realizador prolixo, e, apesar de eu ter visto um dos primeiros filmes que fez, o Something Wild, e um dos últimos, Rachel Getting Married, não foram muito mais os seus filmes que vi. Mas bastavam três filmes para se tornar um realizador marcante e absolutamente inesquecível.

Falo, claro, em primeiro lugar, de The Silence of The Lambs, o filme que, de maneira um pouco inesperada, arrebatou os chamados Big Five nos Oscars da Academia: melhor filme, melhor realizador, melhor argumento adaptado, melhor actor e melhor actriz! E digo que foi inesperado, dado que era uma produção relativamente independente e o género em que se insere, o terror, não é muito dado a prémios do mainstream, mas completamente justificado. O filme é estupendo, as personagens são daquelas que ficam para sempre, a realização é meticulosa e perfeccionista, os diálogos são daqueles que apetece sublinhar.

Outro dos filmes marcantes de Jonathan Demme foi Philadelphia. Talvez não seja um filme tão fascinante como o anterior, mas teve uma importância histórica determinante, ao trazer para a ribalta de Hollywood, e, mais uma vez, para a glória dos Oscars da Academia, o tema da Sida e o seu impacto na comunidade homossexual, quando isso ainda constituia um forte tabu.

Finalmente, o outro filme brilhante de Demme, foi um dos primeiros que realizou, em 1984, e que eu,, apesar de o conhecer desde essa altura, só recentemente tive oportunidade de o ver projectado num ecrã grande. Refiro-me a Stop Making Sense, o filme-concerto-documentário que Demme fez com David Byrne e os Talking Heads. Demme conseguiu com sucesso total dar ao filme aquela característica que, na minha opinião, faz dos Heads, e de Byrne, artistas muito distintivos: a mistura perfeita entre a pop e a arte, entre a obra cerebral que nos estimula o intelecto, por um lado, mas com um inegável apelo à dança e à fruição, à libertação e à entrega.

edit: o David Byrne escreveu no seu diário online um testemunho de memória e homenagem a Jonathan Demme. Vale a pena ler em: http://davidbyrne.com/journal/jonathan-demme-rest-in-peace .

  • 1
Great homage!

I'm in a hurry, so I'm going to write this in English. When my dear old Methodist grandmother, living in the wilds of rural Texas, finally decided to get a VCR, in her mid-80s, she and her equally old gal pal went down to the video store to get a movie. This was in the early 90s, probably.

Well, they decided to rent Silence of the Lambs, because they thought that it sounded like a Christian movie :).

Life in the Bible Belt, you just can't make these stories up!


obrigado Dear Cronopio, great story! being 80, living in the wild, and watching TSOTL: did they survived? :)

  • 1
?

Log in

No account? Create an account