Previous Entry Share Next Entry
miles: the autobiography
rosas
innersmile


A primeira coisa que apetece escrever sobre a autobiografia de Miles Davis é que tem uma característica muito especial: em vez de, como a generalidade das biografias e autobiografias musicais (como a, excelente, de Bruce Springsteen, que li recentemente), nos remeter para a vida pessoal do artista, fazendo-nos conhecer melhor a pessoa que está por detrás do artista, esta autobiografia de Davis remete-nos para a música. Mais do que ficar a conhecer melhor o homem, parece que ficamos a conhecer melhor e a saber mais a sua música, a apreciá-la de forma mais completa e intensa. E isto é, já por si, uma coisa extraordinária.

A leitura do livro não se pode dizer que seja fácil: um calhamaço de 400 páginas, com uma letra mínima e uma mancha gráfica muito densa, escrita num inglês cheio de calão e que muitas vezes acompanha a oralidade. Depois a personagem é tudo menos simpática. O mínimo que se pode dizer é que é politicamente incorrecta. Mas muitas vezes é mesmo racista, sexista, misógino, violento q.b. com as mulheres mas de modo geral com toda a gente, injusto nas suas impressões sobre alguns dos músicos com quem trabalhou. Conserva e alimenta ódiozinhos de estimação. É, muitas vezes, mesquinho e invejoso (diz mal de determinados músicos ou estilos de jazz, para, dois parágrafos depois, estar a tocar com esses músicos ou a experimentar esse estilo).

Aliás, no tocante ao uso do calão, é um verdadeiro jogo perceber em que sentido são usadas determinadas expressões. Motherfucker tanto pode ser bom como mau, shit tanto pode ser boa música como má música. Quando ele escreve que o som de alguém era bad shit, normalmente está a dizer que era muito bom.

Mas por outro lado, é uma enciclopédia viva de tudo o que foi o jazz e dos seus executantes, durante cinquenta anos, desde a década de 40, até 1990, quando o livro foi editado. Miles detalha cada composição da banda com que tocou, e foram muitas, inúmeras, as trocas de músicos entre sets ou por vezes mesmo durante o mesmo set. E uma enciclopédia feita por quem viveu por dentro, no centro mais essencial do que foi o melhor que o jazz teve. Não há nome nenhum, nenhum dos maiores mas também nenhum de todos, que não passe pelas páginas deste livro.

De resto, e no referente aos grandes nomes da jazz e da música em geral, ou da música negra, se é verdade que Miles é arrogante e vaidoso, também é de uma humildade desarmante em relação a todos os grandes que conheceu, que ouviu e com quem tocou. Aliás, logo na introdução, Miles conta-nos a primeira vez que, em St Louis, ainda adolescente, partilhou o palco de um clube com Dizzie Gillespie e com Charlie Parker (sempre chamados pelas suas alcunhas, Dizzy e Bird). Diz ele que nunca tinha sentido antes aquilo que sentiu então. E que ao longo da sua vida, por muito perto que chegasse, nunca chegou a atingir essa mesma sensação que teve ao ouvir os seus grandes mestres.

Além disso, Miles tem sempre palavras elogiosas para com a maior parte dos músicos com quem tocou, e reconhece o papel fundamental que eles tiveram na sua música. E estende essa admiração e reconhecimento mesmo para fora do jazz, por exemplo em relação ao Prince.

Há duas coisas que resultam deste livro de forma muito evidente. A primeira é que nos anos 40 e 50 havia no jazz uma profusão imensa de gente a tocar de maneira absolutamente genial, e que se moviam no mesmo espaço (geográfico mas não só). A outra é que o jazz sempre foi feito de uma grande interação e diálogo, estabelecendo uma malha de parcerias muito densa e rica, tanto feita de um imenso prazer em tocar juntos como de uma certa competição (quem tocava os melhores solos ganhava mais dinheiro e conquistava mais raparigas). Da combinação destes dois factores só podia mesmo resultar o jazz ter sido a grande música do século XX. Esta enorme autobiografia demonstra porque é que Miles Davis foi um dos seus maiores cultores.

  • 1
autobiografias é mesmo um dos géneros de leitura preferidos :)

Sem dúvida. E esta é excelente

  • 1
?

Log in

No account? Create an account